terça-feira, 23 de julho de 2013

OS FARISEUS DE NOSSAS IGREJAS ATUALMENTE

Um dos grupos mais marcantes relatados na Bíblia é o dos fariseus. O texto bíblico apresenta essas pessoas como os judeus mais versados na lei judaica. Entretanto, todo o conhecimento dos mesmos estava restrito apenas nas palavras, pois eles são seguiam a Palavra de Deus. Antes, a doutrina dos homens. E, nesse sentido acreditavam piamente que praticar o bem, confessar-se, dar esmolas eram condições básicas para a salvação.
             No livro de Mateus 23:1-39 observa-se que Jesus foi bastante severo ao referir-se aos fariseus denominando os de: hipócritas, insensatos, raça de víboras, serpentes, condutores de cegos, etc. Pois, viviam tão somente das aparências, e deixando de lado o verdadeiro sentido de cristão proposto na Bíblia.
         Séculos e séculos se passaram, mas infelizmente muitos irmãos das mais diversas denominações estão vivendo ainda hoje como os fariseus da época de Cristo. Andam bem vestidos, falam bonito nos cultos, nas reuniões, oram de forma bem convencedora e aparente  santa, porém nada daquilo que expressam traduz suas vidas cotidianamente, pois o homem velho continua sendo imperando em suas vidas. E, a Bíblia nos diz: “E, assim que se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”. (2 Co 5:17).
            A condição básica para sermos aceitos diante de Deus é sermos santos. “Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver”. (1 Pe 1:15). Ora, ser santo significa ser diferente, e ser discípulo fiel de Jesus Cristo. Será que Jesus faria e viveria da mesma forma que alguns irmãos insistem em viver no meio cristão?
          Denominação, vestimenta, falar cordialmente, e tantos outros costumes não são pré-requisitos para uma vida cristã abençoada, e sincera diante de Deus, pois o homem pode até mentir para seu semelhante, porém para Deus é impossível.


Carlos Richards