terça-feira, 21 de maio de 2013

UM ENCONTRO MARCANTE PARA O MUNDO


Existem diversos encontros verdadeiramente fascinantes. Entretanto, a Bíblia narra um deles em Lc 1:39-45 o qual merece um destaque todo especial.


MARIA VISITA ISABEL





E, naqueles dias, levantando-se Maria, foi apressada às montanhas, a uma cidade de Judá,
 e entrou em casa de Zacarias, e saudou a Isabel.
E aconteceu que, ao ouvir Isabel a saudação de Maria, a criancinha saltou no seu ventre; e Isabel foi cheia do Espírito Santo,
Algumas coisas merecem destaque nessas duas passagens: qual era a provável idade dessas duas mulheres? Por que ocorreu esse encontro? A Bíblia não comenta textualmente a idade de Maria. Entretanto, segundo o costume judeu daquela época as mulheres eram oferecidas em casamento ainda muito jovens. Então, de acordo com estudiosos respeitáveis Maria deveria ter naquela ocasião entre 14 e 17. Não mais que isso.
Isabel ao contrário era uma senhora em torno de mais de sessenta anos. E, isso é confirmado pelo diálogo entre seu marido Zacarias e o anjo Gabriel: “Disse, então, Zacarias ao anjo: Como saberei isso? Pois eu já sou velho, e minha mulher, avançada em idade.” (Lc 1:18). Ora, tanto Zacarias quanto Isabel eram pessoas que segundo a Biologia não estavam em plenas condições de reprodução. Todavia, como a Bíblia nos adverte em: “Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente”. (1 Co 2:14). Ora, o homem não tem, e nem deve querer questionar a vontade de Deus. O inaceitável ao entendimento humano torna uma coisa tão fácil e normal para o Criador.

POR QUE MARIA VISITOU ISABEL?

Maria por ser jovem tinha bastante disposição para andar, pois o local para onde foi não era todo plano. Era montanhoso. Ora, essa mulher saiu até ali não a passos lentos: “E, naqueles dias, levantando-se Maria, foi apressada às montanhas, a uma cidade de Judá e entrou em casa de Zacarias, saudou a Isabel.” (Lc 1:1). Também se pode ver que como se não bastasse ser uma montanha Maria deslocou-se apressada, ou seja, a passos rápidos. E, mesmo sendo Maria jovem, isso deve tê-la cansado durante o percurso. Então, o esforço de Maria devia ter um motivo muito importante. O que teria movido essa mulher de forma tão decidida a visitar Isabel? A resposta é: humildade. Pois, mesmo tendo no ventre uma criança tão especial, entretanto, jamais demonstrou qualquer superioridade em relação às demais pessoas.

SER EXEMPLO

O segundo critério observado aqui é ser exemplo: como toda mãe habitualmente faz que é desde cedo ensinar seu filho coisas boas. E, naquele contexto Maria ensinou o ato de ser cordial com Isabel por meio da visitação. Raridade, aliás, cada vez mais presente em nossa sociedade entre as pessoas. Mesmo entre aquelas que dizem: O Senhor é meu Salvador. As quais estão dentro e fora das igrejas nos diversos pontos distintos desse planeta.
A mãe do Messias demonstrou de forma simples para todas as mulheres que devemos dar bons exemplos, sendo exemplo.

O DEUS DO IMPOSSÍVEL



Como é possível uma mulher idosa e estéril conceber? Essa seria uma resposta em princípio até fácil de responder com a expressão: “impossível”. Entretanto, Deus não respondeu assim para Isabel: “… e é este o sexto mês para aquela que era chamada estéril…”(Lc 1:36). O texto, aqui, não faz referência a uma mulher estéril, mas sim a alguém que teria sido em algum tempo no passado. E, a explicação do inexplicável vem no versículo seguinte confirmar dizendo tudo: porque para Deus nada é impossível.”(Lc 1:37)). O conhecimento científico do homem assume o caráter de nada. Pois, só Deus é Senhor dos Senhores, e o homem jamais terá pleno conhecimento das coisas do Criador levando em consideração seus limitados conceitos humanos e falhos.
Convém mencionar também o fato de Maria ao visitar Isabel estava através da sua visita confirmando o cumprimento de uma promessa de Deus a Zacarias:“Mas o anjo lhe disse: Não temais, Zacarias; porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, te dará a luz um filho, e lhe porás o nome de João…” (Lc 1:37) e mostrando publicamente que Deus quando promete ele cumpre. Não importa o que seja.

JOÃO RECONHECE JESUS

E aconteceu que, ao ouvir Isabel a saudação de Maria, a criancinha saltou no seu ventre; e Isabel foi cheia do Espírito Santo. (Lc 1:41). Vê-se, portanto, que algo fora do comum ocorrera naquele momento por dois motivos: a criança saltou no ventre de sua mãe (João Batista) e simultaneamente Isabel fica cheia do Espírito Santo de Deus. E, isso implica em estar num nível de contrição grande com Deus. Em Lucas 1:44 diz que: “Pois eis que, ao chegar aos meus ouvidos a voz da saudação, a criancinha saltou de alegria no meu ventre.” Alegria é o vocábulo que define provavelmente com mais precisão o sentimento daquele bebê ao ouvir que a mãe do Messias estava ali honrando com sua presença, e em conjunto com o Filho de Deus a sua pessoa e a pessoa de sua mãe Isabel.

A BENÇÃO DE ISABEL

e exclamou com grande voz, e disse: Bendita és tu entre as mulheres, e é bendito o fruto do teu ventre! (Lc 1:42). Isabel poderia apenas ter agradecido a visita de Maria como a maioria das pessoas tem o hábito de fazer. Porém, ela foi bem além. Abençoa sua visitante Maria, e o texto relata que isso ocorrera com grande voz, ou seja, Isabel falou alto. Muitas vezes nós não entendemos a importância dessa forma de expressarmos nossos sentimentos diante de Deus seja na igreja, em casa ou em qualquer local. Todavia é importante que façamos assim como forma não apenas de louvá-lo, mas também como forma de expressar nossa alegria: “Alegrai-vos no Senhor e regozijai-vos, vós, os justos; e cantai alegremente todos vós que sois retos de coração.”(Sl 32:11). Ora, quem está alegre é alguém transbordante de satisfação, e por isso mesmo quer dividir e anunciar para o mundo inteiro. Foi assim que Isabel se sentiu naquele momento diante de Maria. Pois, a palavra nos afirma que: “Deus não é homem para que minta, nem filho do homem para que se arrependa. Acaso ele fala e deixa de agir? Acaso promete e deixa de cumprir?” (Nm 23:19). Sua palavra não falha e é imutável.

A FÉ DE IZABEL

Acreditar piamente na promessa do anjo Gabriel, enviado de Deus. Essa foi a maior coisa feita por Isabel, ou seja, exerceu verdadeiramente sua fé. O texto bíblico de Lucas 1:45 relata: “Bem-aventurada a que creu, pois hão de cumprir-se as coisas que da parte do Senhor lhe foram ditas!” Ora, a se Isabel não tivesse crido no Senhor certamente nada teria acontecido de bem para ela. É interessante observarmos que aqui, o texto faz uma referência a Isabel sobre tudo o que lhe acontecera naquele período. E, não é sem razão, pois quando observamos na Palavra de Deus: “Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam”.(Hb 11:6).
Assim como quando pedimos algo para ao pai, mãe ou amigo e acreditamos que receberemos; muito mais com Deus devemos viver essa certeza em nossos corações sempre.


 Autor: Carlos Richards
http://amudhaesh12.blogspot.com/